Mosquetão: Para que serve? Como escolher? Onde utilizar?

O fecho mosquetão é um utensílio indispensável, tanto para quem pratica esportes envolvendo escaladas e rapel quanto para o Trabalho em Altura. No entanto, existem diversos tipos e modelos, cada um com uma finalidade diferente. Escolher o tipo inadequado pode resultar em acidentes graves, inclusive com a possibilidade de morte. Como é geralmente utilizado em alturas, é imprescindível prestar atenção aos mínimos detalhes no momento de escolher o seu. 

Se você tem dúvidas quanto a este material, chegou ao lugar certo. Neste artigo iremos esclarecer todos os principais pontos sobre o mosquetão, como por exemplo, os diferentes tipos, características e finalidades de cada um.

Além disso, iremos apresentar a você as principais maneiras de utilização e como você pode ter a certeza de que está escolhendo a melhor opção. Tenha uma boa leitura! Se ficar com alguma dúvida, lembre-se, é só comentar abaixo do post. 



O QUE É O MOSQUETÃO? 



O Mosquetão é um equipamento de segurança formado por um elo de metal que possui uma parte móvel. Essa pequena parte se abre e fecha possibilitando prender o item a uma corda, tornando-se fundamental para manter o trabalhador em segurança. 

São produzidos com materiais super resistentes, e geralmente você encontra de duas formas. Ou feito de liga de alumínio (também chamada de zicral), que possui 88% de alumínio em sua composição; ou, o mais conhecido, o mosquetão de aço. 

Outra característica importante que difere um modelo do outro é o tipo de fecho (ou trava) que o objeto possui. Essa informação é essencial pois o sistema de travamento é o principal responsável por assegurar que o colaborador ficará bem preso e seguro, mesmo na altura. Existem mosquetões sem trava, com trava, com trava de rosca, trava automática… Cada uma delas exige cuidados especiais e uma utilização recomendada. Além disso, você também vai encontrar o objeto de diferentes formatos: oval, pêra, D… A resistência do equipamento é medida por quilonewton (kN) ou decanewton (daN). Sendo assim, podemos dizer que 1 kN corresponde a 100 kgf (quilograma força). Ou seja, se um mosquetão tiver resistência de 22 kN (2.200 daN ou 2.200 kgf), significa que a partir disso pode ocorrer uma ruptura, o que colocaria o trabalhador em exposição total ao risco. 

Sua utilização é imprescindível tanto no Trabalho em Altura quanto em esportes radicais que envolvem escalada, rapel, canyoning, entre outros. No entanto, como você viu, existem diversos fatores que devem ser levados em consideração para adquirir o equipamento ideal.



Se você ainda está em dúvida, continue sua leitura conosco que iremos esclarecer todos os pontos mais importantes para você. Como por exemplo, os diferentes tipos de mosquetão que você vai ver a seguir. 



TIPOS DE MOSQUETÃO 



Podemos classificar os mosquetões de duas formas: os profissionais e os esportivos. Os profissionais são utilizados por trabalhadores que atuam com Trabalho em Altura, Alpinismo Industrial, etc. Já os esportivos são geralmente utilizados de maneira recreativa. Neste artigo iremos abordar ambas as formas. Primeiramente, dentre os equipamentos utilizados pelos profissionais, podemos identificar 5 diferentes classes. São elas: 



Classe A: Conector de Ancoragem

Classe B: Conector de Base

Classe M: Conector Multiuso

Classe Q: Malha Rápida

Classe T: Conector terminal



Eles são regulamentados pela NBR 15837 e pela Norma Europeia EN 362. Vamos ver um pouco mais sobre cada um deles? 



Mosquetão Classe A 



O mosquetão Classe A é geralmente utilizado como ponto de ancoragem, permitindo uma fixação em determinado local. É muito utilizado como instalador, para possibilitar uma primeira subida em um trabalho em altura, por exemplo. 



Mosquetão Classe B



Este modelo é também chamado de Conector de Base, e é o mais comum encontrado por aí! É ideal para conectar equipamentos como cordas, chapas, entre outros. Pode ser encontrado de diversas formas, seja oval, formato D, assimétrico ou simétrico…

O mosquetão classe B também é encontrado dentre os modelos esportivos, tendo como referência o Tipo H, que nós veremos em breve. Dessa forma, ele atende não só a EN 362, como também a EN 12275. 



Mosquetão Classe M



O Mosquetão Classe M é geralmente produzido em aço, e é o mais versátil dos modelos. É utilizado para as mais variadas finalidades: desde a ancoragem, como o classe A, até uma simples conexão entre dois materiais. Por este motivo é muito chamado como mosquetão multiuso. 



Mosquetão Classe Q



Este modelo possui um sistema de trava em forma de rosca, como um parafuso mesmo, que você pode apertar com uma chave específica. É utilizado tanto para realizar uma ancoragem, quanto para fixá-lo em um local por longos períodos de tempo. 



Mosquetão Classe T



O Mosquetão Classe T (também conhecido como Conector Terminal) é um modelo diferenciado, pois permite uma execução de força apenas para uma direção. O modelo mais conhecido é o MGO, essencial para a construção civil através dos talabartes. 



Já os mosquetões esportivos são regulamentados pela EN 12275 e devem, obrigatoriamente, ter a certificação da União Internacional das Associações de Alpinismo (UIAA). Aparentemente são muito parecidos com os modelos profissionais.

A principal diferença entre eles é que os equipamentos esportivos geralmente não possuem um sistema de travamento no gatilho. Ainda assim, são essenciais para a segurança do esportista e podem ser divididos em 5 formas:  



Mosquetão Tipo B

Mosquetão Tipo HMS ou Tipo H

Mosquetão Tipo K

Mosquetão Tipo Q

Mosquetão Tipo X



Vamos ver cada um deles a seguir. 



Mosquetão Tipo B



O Mosquetão Tipo B não possui um sistema de travamento de segurança. Portanto, sua abertura funciona com uma mola que ao ser pressionada abre o equipamento para ser preso à uma corda ou outro objeto. Geralmente possuem uma abertura de 15mm. 

Como não possui trava de segurança, este modelo jamais deverá ser utilizado para ancoragem ou descensor. Nestes casos, melhor optar pelos modelos onde há um travamento mais eficiente e seguro para o esportista. 



Mosquetão Tipo HMS (ou Tipo H)



Este modelo possui geralmente o formato de pêra e é ideal para utilizar juntamente com o nó “meia volta fiel” ou UIAA para um sistema de freio na descida. O nome HMS é em referência ao mesmo nó que na língua alemã se chama “halbmastfurfsicherung”. 



Mosquetão Tipo K



O Mosquetão Tipo K é o mais recomendado para ser utilizado em uma via ferrata. Ou seja, em uma parede rochosa, previamente preparada para a escalada. Geralmente possuem uma base larga e o sistema de travamento automático, podendo ser duplo ou simples.

Para este modelo em específico, busque uma resistência de no mínimo 25 kN. 



Mosquetão Tipo Q



Também conhecido como Malha rápida, este item possui o sistema de travamento rosqueado, como um parafuso. Assim sendo, é recomendado que seja fixo em um local, ou utilizado para abandono na parada na via. Por isso, recomenda-se uma resistência de no mínimo 22 kN. 



Mosquetão Tipo X



O Mosquetão tipo X é simétrico, onde a parte superior e a inferior possuem o mesmo diâmetro. É recomendado para utilização em roldanas, trava-quedas, ou mesmo no sistema de freio pois oferece bastante estabilidade. No entanto, não é recomendada a utilização onde haja carga dinâmica, isto é, alguma queda brusca. 



COMO ESCOLHER O MOSQUETÃO IDEAL? 



Para escolher o modelo de mosquetão ideal a primeira coisa que você precisa fazer é definir sua utilização. Ou seja, opte pelo modelo mais adequado para o objetivo que você deseja. Aquele que trouxer mais segurança em termos de resistência, durabilidade, etc. Outro fator que deverá ser levado em consideração é a leveza do equipamento. Mosquetões de alumínio muitas vezes são mais leves que os modelos de aço, que por sua vez são mais resistentes em termos de quilonewtons (kN). Também é fundamental saber observar os códigos, aprovações e certificações que vêm inscritas no próprio equipamento. É importante que contenha as siglas CE (Conforme Especificações – União Européia) e EN (European Norms). 

Isso significa que o mosquetão foi produzido de acordo com as normas de segurança as quais se refere. Além disso, você também poderá encontrar as siglas NFPA (National Fire Protection Association – Associação Nacional de Proteção à Incêndios) e UIAA (União Internacional de Associações de Alpinismo).

E mais: recentemente a própria ABNT determinou novas exigências para os fabricantes dos mosquetões. Sendo assim, também será comum que você encontre a marcação referente à  NBR 15.837. Essas são as marcações sobre as certificações do equipamento!

Mas ainda existem outros códigos fundamentais como as setas que indicam a direção correta e incorreta de uso; o local onde há a trava de segurança e o mais importante: a intensidade de resistência do mosquetão, definida em kN. 



MANUTENÇÃO E CUIDADOS COM O EQUIPAMENTO



Por ser um importante item de segurança, seja para o trabalhador ou para o esportista, é recomendado que sejam tomados alguns cuidados que promovem a durabilidade do equipamento. Veja abaixo algumas dicas que elencamos para você: 



1. Sempre que o mosquetão for posto em contato com sujeira pesada, é imprescindível que seja lavado com água e detergente comum. 

2. Você também pode, eventualmente, lubrificar a dobradiça com óleo ou grafite para que esteja sempre em perfeito funcionamento. Mas depois de feito isso, deverá cuidar para retirar o excesso do produto para que o equipamento não fique escorregadio. 

3. Procure evitar o contato do mosquetão com produtos químicos corrosivos! Alguns podem prejudicar a resistência do material, colocando o usuário em exposição desnecessária ao risco.

4. Deixe de usar o objeto imediatamente se este apresentar qualquer sinal de desgaste e o substitua por um novo. 

5. Não utilize se estiver amassado ou apresentar rachaduras, ferrugem, ou qualquer característica que tenha comprometido o equipamento original.

6. Siga as recomendações gravadas na espinha do mosquetão como por exemplo o sentido de uso e sempre respeite a resistência máxima. 

7. Evite impactos na hora de manusear ou de armazenar o equipamento pois podem fragilizar a estrutura, tornando-o assim extremamente perigoso de ser utilizado. Sem falar, que muitas vezes a fragilização fica na parte interna da matéria prima. Por isso, o cuidado durante o manuseio e armazenamento também são importantes.



QUEM DEVE FORNECER O MOSQUETÃO? 



Lembre-se que o fornecimento dos equipamentos de segurança, como o mosquetão, é um dever do empregador. Seja para o Trabalho em Altura, como determina a NR 35, seja na área da Construção Civil, como indica a NR 18. 

Inclusive, na Norma Regulamentadora que versa sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção, vemos: 



18.23.4 Os cintos de segurança tipo abdominal e tipo paraquedista devem possuir argolas e mosquetões de aço forjado, ilhoses de material não ferroso e fivela de aço forjado ou material de resistência e durabilidade equivalentes.



18.23.5 Em serviços de montagem industrial, montagem e desmontagem de gruas, andaimes, torres de elevadores, estruturas metálicas e assemelhados onde haja necessidade de movimentação do trabalhador e não seja possível a instalação de cabo-guia de segurança, é obrigatório o uso de duplo talabarte, mosquetão de aço inox com abertura mínima de cinquenta milímetros e dupla trava. (Inclusão dada pela Portaria SIT 201/2011).



ONDE COMPRAR? 



O melhor local para adquirir o fecho mosquetão é em uma loja de equipamentos de segurança que seja da sua confiança. Que possa oferecer a você apenas produtos de qualidade, com a garantia de que estão com as certificações adequadas para a proteção do trabalhador. 

Como você pode ver, este é um equipamento imprescindível para a segurança dos trabalhadores em alturas, alpinismo industrial, resgates, entre outros. Por este motivo, é fundamental adquirir o produto em um local que você sabe que pode confiar. Se você tiver dúvidas no momento da compra, será preciso contar com um vendedor habilitado para oferecer a você a melhor orientação.



Conclusão



Esperamos que as suas dúvidas tenham sido esclarecidas neste artigo! Aqui, você aprendeu tudo de mais importante para lidar com este equipamento tão importante, utilizando tanto pelos os trabalhadores quanto pelos esportistas.



Fonte: http://www.prometalepis.com.br







Leia Também