Botina de Segurança: vamos falar sobre este EPI?

Sem dúvidas, a botina de segurança é um dos EPIs mais comuns do mercado. Quando utilizada corretamente, oferece proteção contra variados tipos de risco além de proporcionar conforto para um dia inteiro de trabalho.

Utilizar os equipamentos corretos para cada atividade é fundamental para assegurar a saúde e a segurança física dos trabalhadores. Afinal de contas, esta é a última medida de controle de risco a ser tomada com esta finalidade.

Embora a botina de segurança seja um item tão comum, os números parecem mostrar o contrário. Dentre todos os Acidentes de Trabalho, os pés são a segunda parte do corpo mais atingida, perdendo apenas para os dedos das mãos.

No artigo de hoje você vai conhecer um pouquinho mais sobre este importante Equipamento de Proteção Individual! Quais as boas práticas de utilização? O que o trabalhador deve saber? O que o empregador deve levar em consideração?

Acompanhe!



Quais as principais funções da Botina de Segurança?



Como você sabe, a botina de segurança serve para proteger os pés do usuário contra eventuais acidentes de trabalho. No entanto, existem botinas com diferentes características e por isso é importante que o responsável saiba identificá-las.

O que deve ser levado em consideração no momento de compra são os riscos aos quais o profissional estará exposto e o tempo de exposição. Unindo isso ao conhecimento sobre os EPIs disponíveis no mercado, a equipe responsável certamente fará um bom negócio.



A Botina de Segurança pode proteger o usuário contra:



1. Queda de materiais que poderiam lesionar o pé imediatamente;

2. Descargas elétricas;

3. Queimaduras ou acidentes com produtos químicos e corrosivos;

4. Perfurações ou a queda de objetos perfurantes diretamente nos pés;

5. Chutes, tropeços ou trombadas em materiais pesados;

6. Evita a queda em piso escorregadio ou molhado;

7. Protege contra temperaturas extremas.



Como você pode ver, é um Equipamento de Proteção com muitas vantagens. Resta identificar o modelo que se adeque melhor às condições laborais do trabalhador.

Se você quer aprofundar os conhecimentos sobre este EPI. Confira o guia completo dos Calçados de Segurança e descubra qual é a diferença entre os modelos!



Qual a diferença entre a Botina e a Bota de Segurança?



Essa é uma dúvida que nós recebemos com frequência aqui na loja ou nas redes sociais. Muita gente chega procurando uma Bota quando na verdade precisa de uma Botina ou vice-versa.

A verdade é que esses dois calçados são bem diferentes entre si. Se fossem acidentalmente trocados, isso colocaria em risco a integridade física do trabalhador e a empresa também ficaria aberta à multas e penalizações em caso de Auditoria do MTE.

Para diferenciar a Bota e a Botina de Segurança você pode começar observando a altura do cano. Se o calçado tiver o cano curto, na altura do tornozelo, então é uma Botina. Se o cano for longo, na altura da canela ou mais, então este EPI é uma Bota.

Para você identificar com facilidade, lembre-se que um exemplo de Bota de Segurança clássica é aquela branca, confeccionada em PVC, muito utilizada em açougues. Já a Botina de Segurança mais comum é aquela produzida em couro, geralmente preto, utilizada por profissionais da construção, etc.

Lógico que estes dois exemplos são só marcações para que você se recorde com facilidade. As Botas e Botinas de Segurança existem de diversos modelos, cores e especificações diferentes que também podem ser importantes na hora de adquirir.



Outras especificações importantes



Existem outras características importantes sobre a Botina de Segurança que você precisa ficar atento. Como por exemplo, a biqueira e o solado. Você já ouviu falar em Biqueira de Composite ou Biqueira de Aço? E Solado Monodensidade e Bidensidade?

Vamos ver rapidamente cada um deles logo abaixo.



Biqueira de Composite ou Biqueira de Aço



As Botinas com biqueiras de Composite são mais recentes comparadas às Biqueiras de Aço. Por este motivo, os trabalhadores e técnicos de segurança do trabalho mais conservadores ainda não costumam tê-la como primeira opção. No entanto, para algumas atividades, este é o modelo mais adequado. Pelo fato do composite não ser um condutor de energia, esta torna-se definitivamente a melhor opção para o trabalhador que atua exposto a riscos elétricos, por exemplo.

Diferentemente das Botinas com biqueiras de Aço. Como o aço é considerado um condutor elétrico, então este calçado não poderia de maneira alguma ser utilizado para trabalhos que envolvam este tipo de risco. Apesar de que, hoje em dia, já existam calçados com bico de Aço com a devida aprovação contra choques elétricos. Acredite se quiser! Nestes casos, é sempre bom conferir atentamente o Certificado de Aprovação para evitar acidentes.

Se tratando do peso, as Botinas com bico de Composite são cerca de 30% mais leves que as com bico de aço. Isso se dá porque é produzida através de um material que mistura poliéster, fibra de carbono e vidro — elementos bem mais leves que o aço.  

Ambos os modelos protegem contra o contato com produtos químicos; temperaturas extremas; objetos cortantes; perfurações e quedas de materiais pesados. Mas neste último ponto, é bom nós deixarmos um alerta.



Dica importante:



No momento de adquirir uma Botina de Segurança com biqueira de Aço, é importante você verificar se no Certificado de Aprovação do equipamento consta a seguinte frase:

“I) Aprovado para proteção contra impacto no nível de energia de no mínimo 200 J e contra a carga de compressão de no mínimo 15 KN.”

Isso indica que o calçado foi produzido de acordo com todas as diretrizes de segurança do Ministério do Trabalho. Caso o calçado não tenha esta aprovação, o trabalhador estará exposto ao risco que chamamos de Efeito Guilhotina.

O Efeito Guilhotina é quando cai um objeto pesado no pé do trabalhador, em cima do bico de aço, fazendo com que este afunde. Podendo, assim, causar uma verdadeira guilhotina nos dedos do pé do usuário.



Solado Monodensidade ou Bidensidade



As Botinas de Segurança que possuem o solado produzido com Poliuretano (PU) são os modelos que irão oferecer uma dessas duas características. A diferença entre elas é justamente a quantidade do produto que é inserido na sola do calçado.

Assim sendo, o Solado Monodensidade recebe este nome para identificarmos que naquele modelo foi injetado apenas uma dose de Poliuretano. Ou seja, o solado da botina é uma peça única: de um lado, o pé do trabalhador; do outro, o chão onde pisa.

Já o Solado Bidensidade, por sua vez, foi produzido com duas injeções do produto. Uma serve com a base de sustentação para o corpo do usuário e, abaixo, outra, que fica em contato direto com o chão.

O segundo modelo, como você pode imaginar, oferece uma maior resistência ao desgaste, mais conforto e durabilidade. Mas em questões de segurança, ambos modelos oferecem o mesmo nível de proteção contra objetos cortantes, produtos corrosivos, etc.



E aí, sabe tudo sobre as Botinas de Segurança?



Esperamos que o artigo tenha sido útil para você e, se assim for, compartilhe com os seus colegas! A Segurança do Trabalho é um assunto que nunca deve sair de moda e atualizações constantes são sempre necessárias.



Fonte: http://www.prometalepis.com.br







Leia Também